• Stella Iurko

JULHO SEM PLÁSTICO



O que é, por que participar e maneiras de como fazer parte do movimento.

Fonte: plasticfreejuly


Certamente você já ouviu falar ou visualizou em alguma imagem a hashtag #JulhoSemPlástico e se perguntou por que essa hashtag ou por que julho sem plástico. A campanha conhecida mundialmente por “Plastic Free July” começou no ano de 2011 por uma proposta do Earth Carers Waste Education, uma instituição australiana, onde a ideia inicial era evitar o máximo de lixo plástico (material descartável) possível no mês de julho no mundo todo.


As proporções foram tão grandes que atualmente o movimento se tornou a ONG Plastic Free July, e informa não só empresas, mas a população em si, sobre o descarte dos diferentes tipos de resíduos que temos conhecimento, sejam eles reciclados ou orgânicos.


Fonte: Gazetadopovo


É um desafio e tanto quando nos deparamos com a situação atual do Brasil, onde podemos ver diariamente o plástico incluído em nossas vidas de maneiras minuciosas e as vezes inconsciente. Atualmente o Brasil é o 4° maior produtor de lixo plástico, chegando a produzir 11,35 milhões de toneladas anuais de lixo plástico. A pesquisa foi baseada no “What a Waste 2.0: A Global Snapshot of Solid Waste Management to 2050” onde o WWF estudou mais de 200 países; o Brasil se encontra abaixo dos Estados Unidos, China e Índia dos maiores produtores de plástico no mundo. Não satisfeito, ainda lideramos o Ranking do país que menos recicla dentre os 10 maiores poluidores, reciclando apenas 145 mil toneladas, 1,28% do total.

Segundo Marco Lambertini, diretor-geral do WWF-Internacional, a produção de plástico não é “nocivo”, porém a maneira como a indústria e o governo lida com o resíduo e a maneira como a população lida com a praticidade do descarte “transformou esta inovação em um desastre ambiental”, afirma.


Nocivo a fauna e a flora

É perceptível como o manuseio incorreto do plástico afeta diariamente todos os aspectos e as formas de vida existentes em nosso planeta. A WWF destaca o estrangulamento de animais que entram em contato com esse resíduo descartado de forma incorreta, além da ingestão e da degradação ao habitat. “O estrangulamento de animais por pedaços de plástico já foi registrado em mais de 270 espécies, incluindo mamíferos, répteis, pássaros e peixes, ocasionando desde lesões agudas e até crônicas, ou mesmo a morte. Esse estrangulamento é hoje uma das maiores ameaças à vida selvagem e conservação da biodiversidade.” Informam.

Fonte: freepik


Micro e Nano plástico

Várias pesquisas informam que cada vez mais a população está envolvida com as minúsculas partículas de plástico e consequentemente a mesma aparece não só em no intestino de animais marinhos, como no próprio sal de cozinha e em produtos que usamos no cotidiano, exemplo esfoliantes e sabão em pó para roupas (abordamos este assunto em nosso último texto do blog).


Mas então como podemos aderir ao movimento Julho Sem Plástico?

De modo inicial, as pessoas/empresas que aderem ao desafio definem quantos dias ou semanas elas podem se dedicar nas práticas ambientais que são enviadas por e-mail durante o mês de julho pela equipe da ONG, a qual oferece dicas de mudança de rotina para diversas ocasiões do nosso cotidiano.

A ONG Plastic Free July destacou que no mês da campanha há uma redução de 23 quilos de lixo que seriam produzidos por cada pessoa no ano, contribuindo assim para um total de 825 milhões de quilos de plásticos que deixam de serem descartados. Afirma ainda que esses hábitos que são produzidos no mês de julho permanecem em 90% das pessoas que praticam o desafio.


Destaco aqui, algumas empresas que se juntam ao movimento e possuem o pensamento de melhorias e conscientização no mundo; A cerveja Corona em parceria com a Parley for the Oceans, deu início em 2017 um projeto de limpeza de resíduos em praias o quais já trazem seu movimento e interação com o meio ambiente. A empresa “Natura”, “Quem Disse Berenice?”, “Boticário” incentivam essas práticas de logística reversa além de serem exemplos nacionais, também são cruelty free.


Uma dica simples e que você pode aderir ao seu cotidiano é começar a recusar, isso mesmo, recusar todo plástico que for oferecido a você. Temos amplamente a consciência de que nos mercados, comércios alimentícios e lojas de roupas, a sacola plástica reina entre o transporte dos produtos, uma ótima

dica e que já está sendo comercializada

Fonte: panelinha entre algumas lojas é o uso das “Eco

Bags”, sacolas de panos de tamanhos variados em que além de trazer o conforto para a “moda” como vemos em alguns canais de lifestyle e moda, traz também o apoio ao Free Plastic.


Em muitos fastfoods vimos que o uso dos canudos plásticos foram excluídos, e mesmo em locais em que ainda é comercializado, uma ótima opção é o uso de canudos metálicos onde por sua vez podem ser reutilizados por muitos anos se bem cuidado.


Hoje em dia é de fácil acesso para a maior parte da população e você também pode adquirir junto um kit de talher de bambu para levar em sua bolsa em caso de restaurantes oferecerem o talher plástico. Sobre o bambu também podemos ver a escova de bambu reciclável em que já é mais um passo para o caminho sustentável.


A ONG Oceana além de liderar campanhas para a redução de plástico, tem como seu principal objetivo de criar zonas Plastic Free, sua nova ideia é começar pela cidade de Paraty, Rio de Janeiro, a cidade livre de plástico no Brasil.


Para incentivar vocês, trago aqui perfis de pequenos negócios (e empresas recentes) e canais de digitais influencers que a todo momento não só no mês de julho, reforçam a importância da reciclagem ou formas de cuidar do seu resíduo;


A B.O.B, Bars Over Bottles (tradução livre “barras ao invés de garrafas”) é uma empresa que vem se tornando cada vez mais famosa pelo propósito principal que é inovar na sua relação de auto-cuidado e impacto ambiental, dispensando o uso de plástico e ingredientes tóxicos em seus produtos.


O perfil Ecoaliza compartilha ideias sustentáveis para o futuro a começar por novos comportamentos diante do meio ambiente. Junto desse perfil, indico a criadora de conteúdo Cristal Muniz, que possui um movimento incrível, o “Uma Vida Sem Lixo”, a qual compartilha diariamente formas de aprender a cuidar de nós e do planeta de maneira

sustentável. Fonte: casapraticaqualita

Temos consciência de que a mudança tem que partir de cada um, e atos como reutilizar embalagens plásticas, utilizar copos de silicone quando estiver fora de casa, utilizar jornal para fazer o descarte do papel higiênico ou até mesmo evitar o descarte de produtos orgânicos em sacolas para adubos e compostagem (temos textos sobre esse tema em nosso blog) já fazem grande diferença não só no mês de julho mas sim no nosso cotidiano.


Para ficar por dentro, acompanhe a hashtag #JulhoSemPlástico e #PlasticFreeJuly nas redes sociais e também as dicas diárias que compartilhamos aqui em nosso site e nas nossas redes sociais, garanto que esse conhecimento irá te fazer a aderir ao movimento e à realizar práticas mais sustentáveis no seu cotidiano.


Fonte: Dreamstime





Referências:

Evelyn Nogueira; “Julho Sem Plástico: afinal, do que se trata o movimento?”; publicado em 11 jul 2019; Disponível em: <https://casa.abril.com.br/sustentabilidade/julho-sem-plastico-afinal-do-que-se-trata-o-movimento/> ; acesso em: 13 jul 2021.


RENATA KALIL; “Julho Sem Plástico: um mês consciente sem crueldade animal e plástico”; pulicado em: 01 jul 2021; Disponível em: <https://vogue.globo.com/Vogue-Gente/noticia/2021/07/julho-sem-plastico.html>; acesso em 13 jul 2021.


Parceiros do Mar; “Julho Sem Plástico: entenda o movimento”; publicado em: 24 jul 2020; Disponível em:< https://parceirosdomar.org/julho-sem-plastico/>; acesso em: 13 jul 2021.


Cabe no Mundo, “Julho sem Plástico: Como surgiu o movimento?”; publicado em: 9 jul 2020; Disponível em: < https://cabenomundo.com.br/julho-sem-plastico/>; acesso em: 13 jul 2021.


João Lara Mesquita; “Maiores produtores de lixo plástico: Brasil em 4º lugar”; publicado em 10 dez 2019; disponível em: <https://marsemfim.com.br/maiores-produtores-de-lixo-plastico-brasil-em-4o-lugar/> acesso em 13 jul 2021.


Renato Pezzotti; “Marcas apostam em ações para reduzir o consumo de plástico, inimigo da vez”; 28 jun 2019; disponível em: < https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2019/06/28/plastico-o-inimigo-das-vez-das-marcas.htm>; acesso em 13 jul 2021.


25 visualizações

CONHEÇA

NOSSOS

SERVIÇOS

  • insta
  • facebook
  • linkedin